Exposições em São Paulo para ir ainda em Fevereiro de 2017.

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  

São Paulo é uma cidade com inúmeros defeitos, boa parte deles comuns aos grandes centros populacionais, cujo o ser humano ainda não encontrou solução, outros tantos derivados da péssima administração publica brasileira, que também não são incomuns, mas que no Brasil alcançaram um um nível entre o ridículo e o desesperador.
Porém, como tudo na vida, ela também tem seu lado bom e, sem dúvida, uma das suas grandes qualidades é ter uma vida cultural efervescente, com inúmeras opções de entretenimento para todos os gostos e bolsos. Poucos lugares no mundo possuem uma quantidade tão grande de museus, centros culturais e galerias com a capital paulista, são tantas opções que chega a ser difícil acompanhar todas as exposições em cartaz e mais difícil ainda decidir onde ir.
É na tentativa de ajudar nessa escolha que a partir deste mês ( Fevereiro de 2017 ) você encontrará mensalmente uma pequena seleção com exposições que, infelizmente, acabam passando batidas pela grande mídia e muitas vezes a maioria das pessoas acaba não conferindo porque nem soube que elas estavam acontecendo. Obviamente não é possível citar todas em uma matéria só, a gente continuará ao longos de cada mês soltando outras dicas e sugestões, mas todo dia 20 você encontrará um pequeno apanhados com as mais interessantes e caso perca alguma todo dia 02 publicaremos o registro fotográfico de cada uma das exposições citadas*. Espero que você goste e consiga aproveitar cada uma delas.

Carybé – As Cores do Sagrado

Carybé- As Cores do Sagrado 
Durante 30 anos o artista plástico Caribé registrou sua vivência pessoal nos terreiros que frequentava na Bahia, estado que ele chegou aos 27 anos de idade, depois de ter vivido na Itália, Argentina e no Rio de Janeiro e que o encantou de tal maneira que foi seu lar até sua morte. A exposição é um bela junção de registro histórico com a beleza artística para a preservação dos valores culturais trazidos da Africa para o Brasil.
Local: Caixa Cultural ( Praça da Sé, 111. Centro )
Data: de 10/ 12/ 16 a 28/ 02/ 17
Horário: das 09h ás 19h de Terça a Domingo.

Anico Herskovits- Percurso Gráfico
A obra de Anico é resultado da simbiose entre a tradição milenar da xilogravura, com a temática urbana moderna.
Um dica pessoal no caso dessa exposição em específico é para que você “perca” alguns minutos assistindo a vídeo que é exibido em uma das salas. Nele é explicado como são feitas as xilogravuras, um trabalho complexo e minucioso.
Local: Caixa Cultural ( Praça da Sé, 111. Centro )
Data: de 10/ 12/ 16 a 28/ 02/ 17
Horário: das 09h ás 19h de Terça a Domingo.

Antonio Maia- Ex-voto, Alma e Raiz
O sergipano Antonio Maia é considerado pelos especialistas em arte como um nome de referência na pintura brasileira. Contudo, ao contrário do que muitos podem imaginar quando se diz algo do gênero sobre um artista, o trabalho é muito acessível e agradável até para os mais leigos, pois sua postura sempre foi a de que fazer arte é uma atitude, um compromisso com os semelhantes e isso se reflete claramente em suas obras, que possuem uma vívida identidade nacional, um “Q” brasileiro.
Local: Caixa Cultural ( Praça da Sé, 111. Centro )
Data: de 10/ 12/ 16 a 28/ 02/ 17
Horário: das 09h ás 19h de Terça a Domingo.

Tesouros Paulistas- Brecheret

Tesouros Paulistas- Coleções de Artes Arte dos Palácios do Governo do Estado de São Paulo
Essa exposição é um verdadeiro passeio pela história da arte através do acervo dos Palácios do Governo do Estado de São Paulo, desde sua primeira sede no Pateo do Collegio ( 1765/ 1932 ) aos palácios dos campos Elíseos ( 1911/ 1965 ), do Horto ( 1949/ 2012 ), chegando aos dos Bandeirantes e Boa Vista ( ambos desde 1964 ).
Peças de mobiliário, como mesas, cadeiras e aparadores ricamente ornamentadas. Objetos decorativos e utilitários, como vasos chineses e aparelhos de jantar em porcelana, sendo alguns presentes da que já foi uma das empresas mais importantes do mundo, a outrora toda poderosa Companhia das Índias. Quadros, dentre outros, de Tomie Ohtake, Tarsila do Amaral ( inclusive o famoso Os Operários ) e Di Cavalcanti. Esculturas de Brecheret e Bruno Giorgio, só para citar alguns. Tudo isso e muito mais compõe o acervo desta belíssima exposição.
Duas dicas acho são bem importantes:
⦁ Primeira: se possível, peça algumas informações para os guias de lá que, além de possuírem informações importantes, como o que são os móveis com diversas mini gavetas e cuja a história é bem interessante, são extremamente gentis;
⦁ Segunda: vá com tempo, para que você possa realmente ” degustar” a exposição.

Local: Centro Cultural Fiesp ( Av. Paulista, 1313 )
Data: de 13/ 12/ 16 a 28/ 02/ 17
Horário: Todos os dias das 10h ás 20h.

Obs: tanto na Caixa Cultural quanto no Centro de Cultura da Fiesp a entrada é gratuita. E no caso da Caixa todas as exposições possuem catálogos também gratuitos, basta pega-los na recepção.

Imagens: Gledes Marques ( imagem header tirada na exposição Antonio Maia )

Os comentários estão fechados