Confira como foi a exposição KANDINSKY: tudo começa num ponto.

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  

 Dia 28 de Setembro foi o encerramento da exposição KANDINSKY: TUDO COMEÇA NUM PONTO, sem dúvida uma das mais interessantes e ricas, culturalmente falando, das que passaram pelo Brasil em 2015.
O russo Wassily Kandinsky, nascido em Moscow em 1866, era um pioneiro: largou uma promissora carreira de jurista para se dedicar ao mundo das artes, isto porque ficou extremamente impressionado com a emoção que lhe causou uma peça de Monet ( vamos combinar que é compreensível ), e acabou se tornando o fundador da arte abstrata e um dos mais renomados mestres da pintura moderna. É, a gente pode dizer que ele foi bem e agradecer a escolha feita.
Quem pode conferir a exposição ou em São Paulo ou no Rio, onde esteve antes, pode se deleitar com várias peças do Kandinsky, bem como obras de artistas que o influenciaram e de seguidores, como Nikolai Kulbin, Grigory Gurkin, Mikail Larionov, Vasily Denisov, Marriane von Werefkin, dentre outros grandes mestres que vai se saber o porquê o CCBB achou que não seria importante avisar que também teriam peças expostas. Alias não é a primeira que acontece, na exposição do Picasso também aconteceu o mesmo, tipo Miró e Dalí, dentre outros, aparentemente não valiam avisar para o público que teriam obras expostas, but… isso é só uma observação pessoal.
Voltando a exposição do “Kandinsky” os museus que gentilmente emprestaram obras para ela, dentre os quais o Museu Estatal Russo de São Petersburgo foi o que cedeu a maior parte, também cederam peças de vestuário e de mobiliário da época. Belos indumentários dos Zyrianos ( um povo ungro- fínico ), trenós, portas ricamente trabalhadas, estavam entre os objetos expostos e foram o que m fizeram pensar que poderiam tem pensando num outro nome para a exposição.
Bom, se você ficou curioso (a ) e gostaria de ir infelizmente a Inês é morta, como disse no começo a exposição já acabou, mas calma, não precisa se sentir “tão” culpado ( a ) por ter adiado milhões de vezes a ida ou triste por não ter passado por São Paulo ou Rio ( onde ela esteve antes ) porque nas imagens abaixo dá para conferir um pouco do que foi, basta clicar nelas para ampliar.
Espero que você goste e ” nunca deixe para amanhã a exposição que você pode ir hoje”.

Fotos: Gledes Marques

Os comentários estão fechados