A arte Gif de Kevin Weir

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  

Todo mundo conhece aquelas imagenzinhas que se repetem infinitamente, algumas até hipnotizantes. Isso. Isso mesmo. Gifs ou, mais tecnicamente, “gifs animados”.
No mundo gif, cabe de tudo: tem de pornografia escancarada a Monas Lisas diversas, de gatinho fofo a assombrações grotescas.
Sem entrar em muitos detalhes chatos, o “gif” é um formato de imagem como o também popularíssimo “jpg”. Só que o gif é um formatinho esperto que tem uma coisa que o jpg não tem: ele possibilita juntar uma sequência de imagens em uma animação.
Animação tosca? Se você acha isso, você não conhece a Arte Gif. Existem artistas que utilizam a liberdade e a democracia do formato para criar pequenas obras de arte em movimento.
Um deles é Kevin Weir. Ele nasceu no interior rural do Estado de Nova Iorque, EUA, longe da televisão e enfiado nos livros e na imaginação. Apaixonado por Surrealismo, ficção científica, pipoca e Jeff Goldblum, é diretor criativo da agência Droga5, na cidade de Nova Iorque.
Kevin caça fotografias pela internet e cria mininarrativas incríveis em torno de cada uma, muitas das quais lidam com o fantástico e o sobrenatural. Narrativas imprevisíveis, fotos bem trabalhadas e um eterno clima de suspense são as principais características deste artista.
Destrua seus preconceitos modernistas que te disseram que “obra de arte é algo sagrado reservado apenas para esnobes devotos iniciados fazendo caras de inteligente num museu” e mergulhe no universo deste que é um dos principais criadores da Arte Gif, uma das vertentes mais acessíveis e populares da arte pós-moderna.
Você pode encontrar os trabalhos do cara em seu tumblr Flux Machine (fluxmachine.tumblr.com).
Para você experimentar a estética de Kevin Weir, aqui vão algumas de suas peças:

[WPGP gif_id=”1740″ width=”300″]

[WPGP gif_id=”1730″ width=”300″]

[WPGP gif_id=”1733″ width=”300″] [WPGP gif_id=”1735″ width=”300″]

[WPGP gif_id=”1746″ width=”300″]

 

Os comentários estão fechados